Endividada, Saraiva pede recuperação judicial e ‘culpa’ Netflix e Spotify

A Livraria Saraiva, rede de varejo líder em venda de livros no País, pediu recuperação judicial nesta sexta-feira (23). Com dívida de R$ 674 milhões, a companhia é a segunda empresa do setor em pouco mais de um mês a pedir proteção da Justiça para reestruturar débitos e tentar seguir em operação. A Cultura está em recuperação judicial desde o mês passado.

As dificuldades da Saraiva ficaram evidentes no início deste ano, quando a companhia atrasou pagamentos às editoras de livros – suas principais fornecedoras. A companhia voltou a ter dificuldades nos últimos meses, e foi iniciado um novo período de negociações. Após não conseguir fechar acordo, a companhia decidiu pela recuperação judicial.

No pedido feito à Justiça, a Saraiva lembrou que vem tentando reestruturar o próprio negócio – processo que está sendo tocado em conjunto com a consultoria Galeazzi & Associados. Recentemente, a companhia encerrou as atividades de 19 pontos de venda, sendo oito lojas tradicionais e oito unidades iTown, que vendiam produtos de tecnologia da marca Apple. Nesse processo, cortou 700 funcionários.

Outra medida tomada pela Saraiva foi a saída de categorias em que a rentabilidade é mais baixa – como a venda de produtos de tecnologia, na qual precisa bater de frente com pesos pesados como a Via Varejo (dona de marcas como Casas Bahia e Ponto Frio) e FastShop. A entrada no segmento foi decidida há alguns anos, como uma tentativa de “proteção” à perspectiva de queda nas vendas de livros.

“Neste movimento (a saída da área de tecnologia), a Saraiva diminuirá substancialmente a geração de créditos tributários, uma das principais razões de consumo de caixa nos últimos anos”, diz a empresa, no documento da recuperação judicial. Para continuar a ofertar eletrônicos e itens de tecnologia nas lojas, a companhia deverá buscar uma parceria com uma rede especializada no setor.

Veja também:  Elenco de O Justiceiro ficou sabendo do cancelamento pelas redes sociais

Preços e ‘culpados’

Apesar de a venda de livros apresentar uma pequena alta em 2018 – de cerca de 5% em valores, segundo o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel) –, a Saraiva lembrou que o preço do produto tem subido bem menos do que a inflação. Segundo a companhia, enquanto o IPCA – índice oficial de inflação – subiu 53,8% de 2000 a 2017, o valor unitário do livro caiu 8%, na mesma comparação.

Outro segmento que já foi a segunda maior fonte de receitas para a Saraiva – música e filmes – foi bastante afetado por avanços tecnológicos, segundo a companhia, que cita no documento de pedido de recuperação a emergência de serviços como Netflix e Spotify nessa área.

Hoje, a companhia se dedica somente à atividade de varejo. O pedido de recuperação lembra que a companhia vendeu seus ativos editoriais e de educação há três anos, por R$ 725 milhões. Após esse negócio e um período de enxugamento do varejo, o grupo hoje contabiliza cerca de 3 mil colaboradores, 85 lojas próprias e uma área de venda de quase 50 mil metros quadrados no País.

Fundada em 1947, a origem da Saraiva remonta, no entanto, a 1914, quando o livreiro Joaquim Ignácio da Fonseca Saraiva, um imigrante português, abriu uma pequeno sebo na rua do Ouvidor, em São Paulo, chamado Saraiva & Cia. A Saraiva é uma companhia aberta desde 1972. Em 2008, adquiriu a rival Siciliano.

Em crise, Livraria Cultura entra com pedido de recuperação judicial


Quer enviar uma lista ou artigo? (Pode até virar video no canal!) Clique aqui!

Log in

With social network:

Or with username:

You’ll be automatically logged in 5 seconds.

Esqueceu a senha?

Não tem uma conta? Registre-se

Esqueceu sua senha?

Digite seus dados de conta e nós enviaremos a você um link para recuperar sua senha.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Fechar
de

Processing files…

gavião arqueiro
Trailer de Ultimato pode ter confirmado o que aconteceu com família do Gavião Arqueiro
tesseract
Tesseract: como a Joia do Espaço foi de Capitã Marvel até Guerra Infinita?
A Marvel ainda pode adaptar a Invasão Secreta para os cinemas?
capitã marvel
Brie Larson, a Capitã Marvel, revela que é fã do anime Sailor Moon
Turma da Mônica exalta mulheres importantes em exposição em SP
A complexidade dramática que super-heroínas têm ganhado com o tempo
Batman: conheça a origem do famoso painel que virou meme
Batman: conheça a assustadora e misteriosa armadura Hellbat
capitã marvel
Brie Larson, a Capitã Marvel, revela que é fã do anime Sailor Moon
Personagem querido dos fãs em Attack On Titan é ‘revivido’ no mangá
Gods & Heroes: Netflix terá anime baseado na mitologia grega
Anime de Dragon Ball Heroes tem nova vilã da Área Núcleo revelada
Em campanha, gamers negam influência de jogos no massacre de Suzano
Mortal Kombat 11 terá aproximadamente 8 horas de história
Adaptação em live-action de Doom: Aniquilação ganha seu primeiro trailer oficial
Nintendo lançará kit de realidade virtual de papelão para o Switch
A Marvel ainda pode adaptar a Invasão Secreta para os cinemas?
Viagem no tempo, Capitã Marvel e mais: 10 detalhes do novo trailer de Vingadores: Ultimato
Durabilidade, força e mais: os principais poderes da Capitã Marvel em seu filme solo
capitã marvel
7 perguntas de Capitã Marvel que ficaram sem respostas
whatsapp
Não pode ouvir agora? Aplicativos convertem áudios do WhatsApp em texto
iFood começa a testar entrega de refeição com drones
Mark Zuckerberg fala em unificar WhatsApp, Instagram e Messenger
Samsung anuncia o Galaxy Fold, seu primeiro smartphone dobrável